Loja

Maringá: Pós-Graduação Psicologia Analítica e Religião Oriental e Ocidental
abril 1, 2020
Revista Coniunctio 3ª edição
setembro 12, 2020

Imaginação Ativa: o sintoma como linguagem. I Congresso On-line do ICHTHYS Instituto.

(1 avaliação de cliente)

Imaginação Ativa: o sintoma como linguagem.
I Congresso On-line do ICHTHYS Instituto.

13 de setembro de 2020. Das 8h às 18h.

Lançamento da 3a. edição da Revista Coniunctio.

 

Temas: Câncer; Enxaqueca; Anorgasmia; Fibromialgia; Síndrome de Burnout; Transtorno obsessivo compulsivo; transtorno do estresse pós-traumático; Imaginação Ativa e os processos simbólicos. 

Via App Zoom. Você participa ao vivo e interage pelo App.

Apresentação

A palavra CONIUNCTIO vem de Carl G. Jung em Mysterium Coniunctionis e aponta para a união dos opostos, os quais compõem a fenomenologia do Si-mesmo paradoxal, que é a totalidade humana. Tal concepção traz consigo a ideia alquímica central de toda a alquimia antiga: a produção do ouro ou o seu equivalente simbólico como meta da obra.

A intensidade das oposições vem expressa em imagens simbólicas, as quais representam diferentes aspectos psíquicos como fogo/água, altura/profundidade, vida/morte, consciente/inconsciente, sol/lua, etc. Segundo Carl Jung (OC, 14/2, § 324), as oposições nascem naturalmente da necessidade original de “levar o mundo ‘uno’ do estado da potencialidade ao estado de realidade”. Tais imagens representam ainda um drama arquetípico que se oculta na coniunctio oppositorum, cujo efeito percebe-se nos afetos violentos que assaltam corpo e alma, mas que são também a condição da possibilidade de um esclarecimento acerca dos conteúdos projetados. A vida acordada da alma denomina-se consciência, e esta anseia pelo oposto que lhe cabe, o qual é algo escuro, latente, não manifesto, isto é, inconsciente. A combinação destes elementos, advinda de um esforço consciente – por exemplo, a prática adequada da imaginação ativa -, poderá ser entendido corretamente como autoconhecimento.

Tendo em vista que a característica central do inconsciente é a sua capacidade de criar imagens, estas personificam conteúdos latentes que podem vir a ser assimilados e integrados à consciência. Com isso, fica claro que a consciência e sua ampliação, que ocorre através de iluminações e inspirações, acontecem repentinamente pela coniunctio, que se forma a partir do inconsciente.

Todos os artigos aqui propostos têm por finalidade despertar o interesse do leitor em buscar compreender a tentativa de integração desses opostos que inicialmente encontram-se projetados e que podem vir a ser integrados ao longo de um processo designado como individuação ou, simplesmente, servir a alguns propósitos imediatos, como o alívio de um sintoma “corporal” insuportável ou ainda “incurável” pela medicina.

Da relação entre o imaginário e o processo de individuação surge o conceito de Imaginação Ativa, no qual Jung, através de fantasias espontâneas, leva à expressão do afeto oculto no sintoma, reunindo a formulação criativa, bem como sua compreensão. Entende-se que uma precisa da outra para produzir a função transcendente, que surge da união dos conteúdos conscientes e inconscientes. A imagem, a figuração e a personificação, portanto, desempenham um papel crescente na obra de Jung, cujos textos vão de uma lógica argumentativa a uma lógica associativa da imagem.

Jung, desencantado com as limitações experimentais e estatísticas na psiquiatria e na psicologia, inaugura uma nova época ao tentar penetrar no mistério individual dos sintomas. Compreender a linguagem dos sintomas tornou-se, portanto, um dos propósitos básicos desse congresso.

 

JUSTIFICATIVA

Dada a necessidade urgente de abordar a doença com um novo olhar, torna-se fundamental refletir sobre o imaginário, especialmente, sobre o método da Imaginação Ativa, como a condição da possibilidade para cura e/ou para o processo de Individuação (tornar-se in-divíduo / não dividido).

 

OBJETIVO 

Por meio de diferentes perspectivas, desvendar o imaginário oculto nas dores do corpo e da alma.

 

PÚBLICO-ALVO

Psicólogos, Analistas, Filósofos, Médicos, estudantes dos cursos de graduação e pós-graduação e interessados no tema. Aberto ao público em geral.

 

PROGRAMAÇÃO

Domingo, 13 de setembro de 2020.

8h Abertura – SONIA LYRA, PhD. Imaginação ativa aplicada a transtornos do estresse pós-traumático por violência urbana.

9h ADELAIDE DE FARIA PIMENTA. O efeito da aplicação da técnica da imaginação ativa no tratamento da síndrome de burnout.

10h Intervalo.

10h30 RENATA ALMEIDA BORGES. Fibromialgia: o despertador da alma.

11h30 ROSELIS BITTELBRUNN. Técnica da imaginação ativa aplicada em paciente com câncer de mama: relato de caso.

12H30 Intervalo.

13h30 SANDRA R. DE ALMEIDA. Transtorno do orgasmo feminino e a técnica da imaginação ativa.

14h30 ANA SILVIA DE ANDRADE. A imaginação ativa como tratamento para a enxaqueca.

15h30 Intervalo.

16h IARA ROMAN. A técnica da imaginação ativa no tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo – TOC.

17h SONIA LYRA, PhD

Palavras finais.

18h Encerramento.

Evento transmitido de forma on-line pela plataforma Zoom.us.

 

Investimento e Inscrições

Inscrição R$ 530,00 ou 2 x de R$ 265,00 com vencimento das parcelas em julho e agosto.

INSCRIÇÕES ATÉ 5 DE SETEMBRO.

A inscrição deverá ser realizada até 5 de setembro ou até o preenchimento das 280 vagas ofertadas. Inscreva-se. Inscrições pelo WhatsApp (44) 9 9129-2727 com Aline Zanon. 

Os participantes inscritos receberão via Correios um exemplar da 3ª edição da Revista Coniunctio, que será lançada durante o Congresso.

 

Mais informações
(44) 9 9129-2727 com Aline Zanon.

Cadastre-se aqui e garanta sua vaga.

1 avaliação para Imaginação Ativa: o sintoma como linguagem. I Congresso On-line do ICHTHYS Instituto.

  1. Maria Esther Zacharias Reis

    Obrigada, Professora Sonia Lyra!

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »