Sonia Lyra entrevista na Holanda a psicóloga polonesa Katarzyna Kamisnka

Sonia Lyra apresenta artigo “Initiatory Dreams” em Conferência em Kerkrade na Holanda
julho 16, 2019
Sonia Lyra entrevista David Lowe em Kerkrade na Holanda
julho 29, 2019

Entrevista realizada originalmente na língua inglesa.
Tradução: Wishilen Alvarenga.

Sonia: Estamos em Kerkrade, na Holanda, na 36th Annual Dream Conference, com a Psicóloga Katarzyna Kamisnka e vamos conhecer um pouco sobre a sua formação e o mundo dos sonhos. Katarzyna, agradecemos sua participação nesta pequena entrevista. Dessa forma, gostaria que primeiramente se apresentasse.


Katarzyna: Olá para todos. Eu sou Katarzyna, natural da Polônia, e desde que eu consigo lembrar, sempre tive muitos sonhos. Quando eu era mais jovem tive três grandes sonhos sobre meu futuro. Então, me tornei psicoterapeuta. Na Polônia a Psicologia Junguinana é muito conhecida, existem muitos psicoterapeutas junguianos e eu conheci uma terapeuta junguiana alemã e fiz muitos trabalhos com ela. Na Polônia, eu reuni um grupo de pessoas que queriam entender os sonhos e saber o que significavam. Então, começamos um grupo com 7 pessoas e fomos experimentando o que funcionava e o que não funcionava, qual método dava certo e qual não, e por isso tudo foi tão interessante. 
Já estamos trabalhando juntos há 4 anos e o grupo quer continuar o trabalho. Dessa forma, nos tornamos um grupo de amigos e o trabalho realizado é muito profundo. Há 2 anos atrás eu falei na Califórnia, na 34th Annual Dream Conference, sobre o meu grupo, já que nos Estados Unidos há muitos outros grupos de sonhos. Diferentemente da Polônia, a Califórnia é um país muito católico e as pessoas deixam de lado os sonhos. Contudo, os sonhos nos dão as respostas que procuramos. Muitas vezes eles nos conectam com algo muito mais alto do que nós mesmos e nosso ego. Algumas pessoas chamam essa conexão de Self, de Divino, para mim não importa o nome, o importante é que se queira crescer, queira ir à fundo e conhecer a si mesmo. Dessa forma, os sonhos são extremamente úteis, porque eles nos ajudam. Se temos uma pergunta ou um problema, o sonho certamente poderá nos ajudar. Mesmo que alguém não tenha uma pergunta ou um problema para resolver, os sonhos vão ajudar da mesma forma, porque eles nos mostram as coisas de uma nova perspectiva.
 

Sonia: Interessante, muito interessante! E em seu grupo de estudos de sonhos, vocês seguem algum livro, algum autor específico? Como vocês trabalham?

Katarzyna: Sei que existem muitos métodos para se trabalhar com os sonhos, então eu tentei métodos diferentes até identificar quais deles funcionavam e eram bons para o grupo, bem como quais o grupo preferia. Esse foi um experimento próprio. Dessa forma eu me sentia livre para fazer como eu queria e achava melhor. Agora eu tenho 4 grupos e cada um é único, porque as pessoas tem sonhos diferentes, são interessadas em coisas diferentes. Um grupo é interessado no desenvolvimento psicológico, outro grupo é mais interessado na questão da transpessoalidade, então há pessoas que tiveram sonhos com visita de anjos, etc, e isso faz de cada grupo totalmente único.

Sonia: O que você pode dizer sobre Carl Jung e seu trabalho com os sonhos?

Katarzyna: Acredito que Jung tinha uma enorme intuição para os sonhos. Ele foi um grande sonhador. Sua perspectiva é muito interessante e muito útil, especialmente pela forma como ele divide os sonhos: os grandes sonhos arquetípicos. Eu não sou uma analista junguiana, mas sou interessada no assunto. Eu uso algumas vezes suas teorias para interpretar os sonhos. Entretanto, eu gosto de olhar para o mesmo sonho de diferentes perspectivas, por diferentes teorias, diferentes pensadores, não somente de uma perspectiva psicológica ou psico-analista, mas também a perspectiva xamânica, dos povos aborígenes da Austrália ou nativo-americanos. As abordagens são completamente diferentes. Algumas não são centradas nos sonhos, mas em ver a vida “acordado”; A vida principal está do “outro lado,”. Para mim isso é muito interessante, porque muda complemente a perspectiva. Outra perspectiva que eu gosto bastante e uso com freqüência é a tradição judaica, sobretudo a  tradição cabalística. Na tradição judaica há um entendimento profundo dos sonhos. Quando conheci um professor que ensinava sobre os níveis em um único sonho, eu achei incrível. Eu nunca tinha visto algo parecido antes e então eu estudei muitos livros e comecei a ver muitas camadas dos sonhos, cada vez mais profundas. Eu venho do sul da Polônia, uma cidade muito industrial chamada Katowice, e lá existe uma mina de carvão. A mina se encontra embaixo de toda cidade. Todos os dias os mineiros trabalham cada dia mais fundo e essa é uma perspectiva que eu gosto muito, de ir cada vez mais fundo nos sonhos.

Sonia: Que bela comparação! Como é visto no país os estudos de Carl Jung e a Psicologia Analítica? Você já ouviu falar sobre a Imaginação Ativa?

Katarzyna: Jung e sua abordagem na Psicologia Analítica são muito conhecidas na Polônia. Acredito que temos duas Sociedade de Psicologia Analítica diferentes no país e eles trabalham muito. Eles também trabalham com sonhos, inclusive fazem palestras e workshops. Dessa forma, a Psicologia Analítica é notavelmente conhecida, mais até do que a abordagem Freudiana. Eu trabalho com a Imaginação Ativa na minha prática privada ou no grupo de estudos de sonhos, já que este é um excelente método para o paciente ou para a pessoa que está interessada. Com a Imaginação Ativa é possível alcançar excelentes resultados.

Sonia: Isso é tudo. Muito obrigado por esta entrevista. Nós realmente apreciamos muito!

Katarzyna: Muito obrigado! Eu queria deixar uma mensagem especial para todos os sonhadores do Brasil. Eu gosto muito da língua portuguesa, especialmente a falada no Brasil, então um beijo para todos no Brasil.

Em breve você irá conferir outras entrevistas realizadas com os participantes da 36th Annual Dream Conference, em Kerkrade na Holanda.

Translate »